Loading...

Instrutora de Artes

Minha foto

Sou divertida,alegre ,apaixonada por minha familia,amo tudo que tenho e o que faço,agora tambem quero compartilhar além das minhas artes essa fase em que estou passando,convivendo com dermatomiosite,espero poder ajudar trocando informações .

domingo, 28 de agosto de 2011

Informática


INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO
É preciso entender que informática é um mecanismo de apoio na escola que é a principal via de ação para todas as atividades exercidas pela sociedade
Informática na escola não se resume em apenas conectar-se na internet, usar um editor de texto ou fazer planilhas
A informática na escola pode ser dividida em duas grandes áreas:
Informática técnica: que vai mostrar os mecanismos utilizados para operações, analisar diversos sistemas de apoio ou equipamentos que possam então levar o indivíduo à utilização
Informática pedagógica: vai estar presente em sala de aula, mediada pelo professor para complementar as atividades desenvolvidas em sala de aula, utilizando o computador e softwares específicos das disciplinas, propondo para o aluno um modelo diferente de aprendizado
INFORMÁTICA EDUCATIVA
A relação cada vez mais íntima, entre informática e educação vem mostrar que a difusão, em larga escala, de computadores em setores estratégicos da sociedade impõe uma real mudança na formação de novas competências técnico-práticas e emancipatórias para a comunidade escolar
A informática possui uma indubitável (não resta dúvida) contribuição na construção de uma nova sociedade
 
Educar para as mídias implica percebê-las além das práticas meramente instrumentais de manipulação das mesmas, caracterizando o tecnicismo redutor e acrítico]
Praticar uma educação para as mídias só é possível se houver uma qualificação na formação de professores, uma mudança efetiva no sentido de superar o caráter redutor(na utilização) da tecnologia educacional, sem perder suas contribuições
Quanto à utilização da informática na educação, encontramos diversas abordagens que a permeiam, desde sua perspectiva instrutiva, interconectiva, virtual e a psicopedagógica
Leitura da nota página 183
INFORMÁTICA INSTRUTIVA/COGNITIVA
Ensinar a criança a pensar
Linguagem de programação LOGO – desenvolvida década de 60-
A criança passaria a usar o computador para trabalhar e pensar
Ênfase dada por Papter sobre os estudos da linguagem Logo se encerra na visão de que o computador, enquanto ferramenta de programação, possibilita o desenvolvimento cognitivo da criança
INFORMÁTICA INTERCONECTIVA
Acesso à informação
Escola preparar o indivíduo para viver na atual sociedade informatizada e conectada
Papel criativo no uso das ferramentas
Comunicar-se com diversas pessoas conectadas na rede, desenvolver pesquisas através de consulta aos textos e hipertextos na internet, disponibilizar uma página pessoal criando uma identidade dentro da rede, estes são alguns dos projetos que se desenvolvem nas escolas
A internet vem ocupando um lugar na educação caracterizado como uma estratégia democrática de expressão para os alunos quando orientado pelos professores e pelas professoras
Manipular as tecnologias e as informações passam a ser uma competência que associa a habilidade técnica à crítica e à reflexão
Dicas página 185, fazer leitura
INFORMÁTICA VIRTUAL
Não se pode afirmar que os avanços tecnológicos sejam acompanhados no mesmo ritmo pela educação
Leitura nota página 186.
INFORMÁTICA PSICOPEDAGÓGICA
Pesquisas revelam que alunos que passaram pelo ambiente de aprendizagem enriquecido pelo computador não sofreram reprovação
É explorada pela psicopedagogia a utilização da informática para pessoas portadoras de necessidades especiais
Pesquisas que observam a produção de formas de interatividade e sociabilidade, centrando –se no plano psicoafetivo e social na utilização do computador.
METODOLOGIA WEBQUEST (PESQUISA NA INTERNET)
A Webquest é uma metodologia de pesquisa orientada, em que quase ou todos os recursos utilizados são provenientes da Web
A utilização de software no âmbito educacional é desejável, auxiliando o professor em relação à qualidade e ao tempo de aprendizagem do aluno, pois ajuda a tornar o ambiente favorável ao processo de ensino-aprendizagem
O software deve ser uma ferramenta que complemente, aperfeiçoe e se possível melhore a qualidade de ensino não devendo transformar em uma maneira simplesmente de informatizar o ambiente educacional
Para que a metodologia funcione, o professor precisa pesquisar na internet o assunto a ser ensinado antes de passar o trabalho de pesquisa aos alunos
É necessário aprender técnicas de pesquisas eficazes na internet e garimpar aquilo que precisa, podendo elaborar uma situação, um problema a ser resolvido, que instigará os alunos na busca da informação
As seções- leitura páginas 189,190
A EDUCAÇÃO E ATECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
A escola não poderá se mostrar indiferente em relação às alterações tecnológicas e novidades em hardware e software
A maioria das escolas se rotula construtivista ou cognitivista, no entanto acabam usando a tradicional
Professores apresentam resistência em utilizar o computador e as novas tecnologias em sala de aula
Professores com falta de interesse e comodismo de outros professores, pois atividades com maior interação dos alunos exigirão maior preparação dos conteúdos a serem ministrados
Professores com medo da mudança, medo do novo, medo que seja apenas modismo e que caia no esquecimento
Esses três fatores aliados impedem o avanço da informática na escola
É preciso rever os valores e concepções atuais, estando aptos e preparados perante a responsabilidade de educadores
Leitura dos principais pontos do livro "O Paradigma Educacional Emergente" página 193
O professor deveria tornar-se o facilitador do aprendizado, conduzindo os alunos de forma individualizada, à busca própria do conhecimento
Dentro deste novo paradigma escolar, a ênfase passaria a ser na intercomplementeridade das disciplinas
Quadro negro substituído pela tela do computador, giz pelo mouse.
O mundo real se transformaria na realidade virtual das telas dos computadores
A escola deixaria de ser um ambiente chato, obsoleto, ultrapasado e assemelhar-se-ia mais ao mundo que a criança realmente vivencia fora da escola, cercada de estímulos virtuais.